Trabalho presencial requer atenção aos protocolos sanitários

2 de setembro de 2021

Compartilhe!

Decreto 64.959, de 04 de maio de 2020, tornou obrigatório o uso de máscara | Foto: Usman Yousaf/Unsplash

Com a retomada do trabalho presencial nas Escolas Técnicas Estaduais (Etecs), Faculdades de Tecnologia (Fatecs) e Administração Central do Centro Paula Souza (CPS), professores e servidores administrativos devem estar atentos às medidas de saúde e segurança e observar as recomendações do Protocolo Sanitário Institucional.

O uso de máscara de proteção facial, cobrindo o nariz e a boca, é obrigatório nas dependências de todas as unidades de ensino e Administração Central do CPS, incluindo estações de trabalho, desde maio do ano passado. Mesmo com a vacinação avançada e a diminuição no número de casos e mortes por Covid-19, a medida é válida também durante o trajeto ao trabalho (em transporte coletivo ou individual) e em lugares públicos e de convívio social.

Os servidores também precisam lavar as mãos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel 70% antes de ingressar no ambiente de trabalho e sempre que utilizá-las após tossir, espirrar, usar o banheiro, tocar em dinheiro, manusear alimentos, lixo e demais objetos. Essas medidas também são necessárias antes e depois de colocar ou substituir a máscara, a cada 2 horas.

Além do uso de máscaras de pano e higienização frequente das mãos, o Governo do Estado de São Paulo recomenda que, ao tossir e espirrar, se cubra a boca e o nariz, preferencialmente, com o braço ou lenço descartável.

Consequências

Além da impossibilidade de adentrar e permanecer nos recintos da instituição, a falta de uso de máscara de proteção facial poderá, ainda, acarretar em advertência e multa de R$ 524,59 aos infratores.